Prove que é um ser humano: 10   +   3   =  

A San Basile, destilaria 100% brasileira realiza feito inédito para competir com os produtos importados e oferece uma gama que vai de licores, gin, absinto, whisky a um preço mais acessível.

Resultado de imagem para san basile destilariaO empresário Renato Chiappetta lançou recentemente no mercado a marca San Basile, uma linha de 16 destilados elaborados com matérias primas naturais, sem corantes artificiais ou conservantes, toda feita com processo artesanal. 

A destilaria conta com os mais variados produtos, que vão desde licor, gin, bitter e até o primeiro moonshine brasileiro, que é um whisky “branco” típico das destilarias do sul dos Estados Unidos, um  produto raro de se encontrar no mercado. 

A vontade de lançar uma linha de destilados variados veio de uma antiga paixão de Renato, que desde pequeno era fascinado com os licores que eram vendidos no empório da família, que é formada por tradicionais comerciantes do Mercado Municipal de São Paulo desde 1933. 

“Há alguns anos, mergulhei na produção dessas bebidas. Viajei pela França e pela Itália, visitando velhas destilarias e mosteiros para conhecer as receitas autênticas e as técnicas utilizadas por religiosos e alquimistas para poder seguir fazendo aqui no Brasil os meus experimentos, até chegarmos às fórmulas ideais.”, pontua o empresário. 

O nome San Basile inclusive tem como inspiração a cultura bizantina, pois foi na idade média, com o Império Bizantino muito bem estabelecido na Europa Ocidental, norte da África e no Oriente Médio, que as técnicas de destilação foram difundidas e aprimoradas nas abadias, monastérios e conventos. Naquele tempo a ideia das infusões e criação de bebidas estavam ligadas aos alquimistas e finalidades medicinais. 

“É legal demais esse trabalho de estudar receitas, manipular e combinar ervas, folhas, sementes, raízes, resinas, extratos, condimentos e temperos, resgatando receitas, procedimentos e métodos originais. Foi um trabalho de pesquisa muito bacana e, pelo feedback que tivemos de especialistas e bartenders, acreditamos que vai ser um grande sucesso”, comenta Renato. 

Além da vontade de testar todo o conhecimento, Renato percebeu uma oportunidade no mercado de destilados e coquetelaria no Brasil, que cada dia cresce mais o segmento de bares e bartenders e inclusive o público final que também tem se interessado por produtos diferentes e de qualidade. 

Com a oferta de bebidas conhecidas do grande público, que possuem uma qualidade semelhante aos importados, Renato teve a sacada ter uma linha de amaros, licores e destilados que vão entrar com um preço mais em conta no mercado, o que vai ajudar a categoria. 

“A ideia é tornar mais acessíveis alguns licores, aperitivos e amaros tradicionais que têm séculos de história e só não são mais conhecidos aqui no Brasil porque seus preços são pouco convidativos. O Triple Sec (da San Basile) custa a metade de um produto semelhante, e o licor de ervas Bizantino custa um terço de seu principal concorrente no mercado”, conclui. 

Com a estreia oficial para o setor no BCB São Paulo, realizado em junho deste ano, a San Basile está disponível para o mercado consumidor há apenas 10 dias e será distribuída pela Multifoods

Com 16 produtos lançados de uma vez, a produção dos destilados é feita na cidade de Tuiuti, a 110 km de São Paulo, onde a destilaria possui modernos equipamentos e uma boa infraestrutura para mudar os rumos do mercado de destilados no Brasil.  

De acordo com Caio Bologna, embaixador da marca “Bartenders de cidades como São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Belo Horizonte já puderam provar e a aceitação está sendo incrível pois as pessoas estão realmente entendendo nossa proposta. Temos um grande leque de sabores, aromas e cores a um preço muito acessível.” Caio avisa que em breve visitarão as cidades de Brasília, Recife, Salvador e Belém.

O portfólio de produtos da San Basile inclui produtos que têm um histórico no Brasil, como o Absinto, o Spiced Rhum e o Limoncello. O Licor de Lúpulo também é uma novidade, em que a receita é feita com o lúpulo fresco cultivado nos sopés da Serra da Mantiqueira.

Cada bebida traz também uma arte no rótulo muito bem elaboradas, em os gráficos lembram a Belle Époque e o movimento art nouveau, muito presente na Europa no período de 1890 a 1920.

*POR GIULIA CIRILO, ESPECIAL PARA O MIXOLOGY NEWS

Receba nossa newsletter com os melhores artigos do universo da mixologia.

Obrigado por se inscrever!