Prove que é um ser humano: 1   +   5   =  

01 de janeiro de 2012!! Feliz Ano Novo para todos nós e para as nossas família. Que todos nós tenhamos muita força, fé e coragem para alcançar nossos sonhos nesse ano.

E para terminar nossa série de retrospectiva 2011, listei abaixo 5 assuntos que deram o que falar esse ano. Que venham novos acontecimentos e junto deles muitas realizações para nós. Um abraço!

A MALDIÇÃO DOS MARTINIS

Porque toda capirinha pode se tornar um martini/fruitini? Porque banalizar a história dos dois ícones da coquetelaria confundindo-os e tornando-os sem sentido? O boom dos martinis na terra da caupirinha e a nossa necessidade de formar bases mais sólidas na coquetelaria. É o que esse texto vem questionar.

TÉCNICAS INDIANAS DE SHAKE – NADA SE CRIA, TUDO SE COPIA

Ao pensar o quanto a  mixologia evoluir nos últimos anos, não podemos deixar de citar a globalização como um fator determinante para a troca de informações entre as culturas da coquetelaria. Dessa forma, viemos buscar nos mercadinhos de bairro da Índia, algumas respostas para novas técnicas que tentamos introduzir com qualidade nos bares do mundo todo. Confiram.

5 MODISMOS DE UMA ÉPOCA QUE AINDA NÃO PASSOU

Se pudéssemos citar cinco modas dos últimos tempo que foram úteis, ou nem tanto, para a mixologia. Quais seriam?

Apresentamos aqui alguns exemplos como  o Colete estilo antigo, Método Hard Shake, Retorno do Gelo Seco, Mixologia Molecular e Pouring Quilométrico.  O que vocês acharam? Quais ficaram de fora?

DOIZ INAUGURA RELEITURA DOS CLÁSSICOS

Inaugurado no segundo semestre de 2011, o Doiz é um bar que já nasceu predestinado. Do mesmo grupo do ótimo Meza Bar, o Doiz também está localizado em Botafogo e se tornou uma das melhores opções de coquetelaria do RJ tanto que foi premiada como melhor carta e drinks do RJ pela Época.

Novas técnicas, releitura de drinks clássicos esquecidos na história e harmonização de ingredientes são os pontos fortes da casa. Aproveitem!

CARA E COROA NO REINO DO CAFÉ

O artigo que apresenta a minha opinião sobre o caso de Felipe Lukasievicz, barista do Paraná. Um dos acontecimentos mais tristes desse ano para mim, a ascenção e a queda de um campeão brasileiro de baristas. Nos resta torcer por um retorno feliz.

Receba nossa newsletter com os melhores artigos do universo da mixologia.

Obrigado por se inscrever!